Nossa História

Nos dias que antecederam aos fóruns sociais mundiais realizados em Porto Alegre/Brasil em janeiro de 2002 e 2003 e em Mumbai/Índia em 2004, foram organizados fóruns internacionais dedicados à defesa da saúde dos povos e a afirmação do direito universal à saúde.

Aqueles eventos, chamados de Fórum Internacional em Defesa da Saúde dos Povos (FIDSP), foram liderados em sua organização inicial pela Associação Latino Americana de Medicina Social – ALAMES, com o protagonismo de um leque amplo de organizações, e a partir de 2003 contaram com o apoio e convocatória conjunta do Movimento pela Saúde dos Povos – PHM (People’s Health Movement), o qual foi o principal organizador do evento em Mumbai em 2004.

A principal intenção daquelas iniciativas foi lançar uma convocatória mundial a todos os movimentos sociais para que se mobilizassem em torno da defesa do direito à saúde e à atenção à saúde de todos e todas, desenvolvendo o espírito do movimento do Fórum Social Mundial, como um processo aberto e capaz de dialogar com todos os movimentos e pessoas comprometidas eticamente pelo direito universal, integral e equitativo à saúde.

Em um avanço constante e seguro, foram realizados os dois fóruns em Porto Alegre evoluindo até 400 participantes e 24 países em 2003, para se alcançar em Mumbai a marca de 700 participantes de 50 países. O III Fórum Internacional em Defesa da Saúde dos Povos de Mumbai reforçou a ideia aprovada em Porto Alegre em 2002 e 2003, quando houve a decisão de se realizar o I Fórum Social Mundial da Saúde com o propósito de construir uma agenda para a ação com o objetivo principal de apoiar a formulação e a construção de reformas alternativas do setor saúde, orientadas para a organização de sistemas públicos nacionais de saúde e seguridade social.

Essa iniciativa do Fórum Social Mundial pela Saúde guarda relação direta e estreita com o Movimento pela Saúde dos Povos – PHM, buscando reforçar sua agenda no campo das reformas dos sistemas de saúde e seguridade social e fortalecendo a convocatória para a II Assembleia Mundial de Saúde dos Povos realizada em Cuenca - Equador em julho de 2005. O Movimento pela Saúde dos Povos estruturou-se em torno da I Assembleia Mundial de Saúde dos Povos realizada em Bangladesh em dezembro de 2000.

O Fórum Social Mundial de Saúde e Seguridade Social (FSMSSS) é uma plataforma de movimentos sociais organizada como braço temático do movimento do Fórum Social Mundial – FSM (estabelecido como sede em Porto Alegre – Brasil em janeiro de 2001, em oposição ao Fórum Econômico Mundial em Davos, clamando por Outro Mundo, propondo a Globalização da Solidariedade como alternativa à Globalização Neoliberal), instituído em 2005 pelas seguintes organizações fundadoras: Associação Brasileira de Saúde Bucal Coletiva – ABRASBUCO; Associação Latino Americana de Medicina Social – ALAMES; Central Única dos Trabalhadores – CUT; Centro de Educação e Assessoramento Popular – CEAP; Confederação de Funcionários da Saúde Municipalizada – CONFUSAM; Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social – CNTSS; Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde – CNTS; Conselho Nacional da Saúde – CNS; Foro Social de Salud y Medioamiente/Argentina; Instituto de Estudos Sócio Econômicos – INESC; Internacional dos Serviços Públicos – ISP; Médicos del Mundo Argentina/Cono Sur; Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase – MORHAN; Movimento de Saúde dos Povos – PHM; Movimento Nacional de Luta Contra AIDS – Brasil; Plataforma Interamericana de Direitos Humanos Democracia e Desenvolvimento – PIDHDD; Rede de Jovens Brasil – RJB; Rede de Saúde da Centro América; Rede Européia pelo Direito à Saúde; Rede Lai Lai Apejo; Rede Mundial de Mulheres pelos Direitos Reprodutivos; Rede Nacional Feminista Saúde, Direitos Sexuais e Direito Reprodutivos; Sociedade Internacional de Equidade em Saúde – ISEqH, e; União Brasileira de Mulheres – UBM.

A I Conferência Mundial sobre o Desenvolvimento dos Sistemas Universais de Seguridade Social foi realizada em dezembro de 2010, em Brasília – Brasil, com 101 países e delegações da sociedade civil e governos representados de forma autônoma. Uma consequência importante da Conferência Mundial foi o aumento do debate em torno dos sistemas universais de seguridade social e a necessidade de desenvolver capacidades analíticas e propositivas para estabelecer sistemas universais em diferentes contextos, gerando a iniciativa de Laboratórios de Políticas Públicas com o objetivo de potencializar a formação e intervenção cidadã.

Após, em 2011, 2013 e 2015, foram organizadas novas edições do FSMSSS em Dakar e em Tunis.

A partir deste momento, abrimos nossos debates à totalidade complexa de nossas lutas em prol da igualdade em saúde e proteções sociais articuladas com as lutas pela Democracia, Paz e Desenvolvimento com Justiça Social e Justiça Ambiental, conectando outros movimentos com as lutas pelo bem-estar, dignidade e qualidade de vida, em todas as formas de vida, pedindo a reinserção da economia na vida social e a sustentabilidade das alternativas a serem consideradas e a expressão radical da democracia como forma de construção da Justiça Social e Ambiental.

Esse movimento de ampliação do diálogo entre diversos movimentos para além dos movimentos clássicos da saúde foram as principais características do FSMSSS em Salvador (Brasil) em 2018 (1100 participantes) e em Bogotá (Colômbia) em 2019 (1300 participantes). Nosso próximo Fórum será no México (2022), com reuniões preparatórias em diferentes regiões – Mediterrâneo, África, América Central e América do Sul, Ásia.

ArabicChinese (Simplified)DutchEnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish